A colecção de todos os tempos, de Sindika Dokolo

A colecção de todos os tempos, de Sindika Dokolo

A estrutura estética, cultural e política da colecção desenvolve uma plataforma que sustenta a criação de mecanismos para a produção cultural suficientemente autónoma, considerando que é através da arte e da cultura que os sintomas de soberania cultural colectiva e individual melhorse expressam. A colecção, criou um diálogo e uma interação entre estéticas de tempos distintos.

Nesta perspectiva, optei numa primeira abordagem pelo ritmo histórico e estético, em seguida imprimi um novo olhar e elaborei um novo desenho inclusivo e abrangente, desenvolvendo um segmento contemporâneo de um espólio suficientemente representativo da produção artística africana, composto por artistas que estabelecem novos paradigmas na história da arte.

O tempo contemporâneo é objectivamente o que me preocupa, pois permite também reflectir sobre outros tempos da arte e da estética africana . A colecção gravita num universo intemporal, para que após incursões a diferentes tempos históricos específicos da arte africana, se posicione como a colecção de todos os tempos.

Com esta dinâmica, pretendemos participar na reconstituição da trajectória épica das civilizações africanas através da arte contemporânea em permanente diálogo com a arte antiga/clássica africana, para que possamos criar uma cartografia cultural a propósito da presença dos Africanos na História da humanidade.

A participação dos africanos foi, é e será naturalmente parte integrante das alterações culturais e estéticas mundiais. .

Encontramos um Porto cidade, que com afecto, nos convida sem preconceitos, para integrar um programa de políticas e acções culturais excepcionais na “cidade líquida” que nos permite constituir uma relação activa e permanente.

Considero urgente a necessidade de revelar o pensamento e a historicidade da trajectória da estética africana. A cidade do Porto proporciona através da exposição YOU LOVE ME YOU LOVE ME NOT esta revelação.

Sindika Dokolo